Dicas

11/8/2005
CD - OLIVIER MESSIAEN - L’ASCENSION
 

Uma obra maravilhosa! A primeira vez em que a ouvi foi num vinil do meu amigo Chico Willcox, chapei totalmente! Originalíssima e inesquecível.

O Chico, aliás, foi quem me apresentou à música de Olivier Messiaen. Seu pai, o saudoso Paulo César Willcox (pianista, vibrafonista e arranjador), era um grande admirador de sua música, chegou até a ver o próprio Messiaen improvisando ao órgão numa catedral em Paris! Essa apreciação continuou, então, na geração do Chico (que é baixista) e de seu irmão Igor (baterista). Abraço pros dois!

Essa peça foi composta primeiramente para órgão em 1932, depois foi orquestrada pelo autor. Dividida em quatro “Meditações sinfônicas”, ou seja, quatro movimentos; a duração é de 30 minutos, aproximadamente. Esse cd é meio difícil de achar, mas já vi algumas vezes uma versão mais em conta lançada pela gravadora “Naxos”.

O que mais me impressiona sempre que ouço essa obra é a harmonia indescritível, fato que se destaca no último movimento. É um daqueles casos em que a complexidade é justificada, não soa “difícil” nunca. Música boa pode ser complicada ou simples, mas sempre soa clara, direta. 

Olivier Messiaen (1908/1992) foi um dos grandes mestres da música no século XX. Vale muitíssimo ouvir sua música, uma grande abertura para a mente. Ouça outras obras dele: “Catálogo dos pássaros”, “Et exspecto resurrectionem mortuorum” (totalmente “Heavy Metal!!!), “Sacrum Convivium” (um coral de arrepiar), “Turangalila Symphony”, “Visions de l’Amen”, “Quarteto para o final dos tempos” (que ele compôs num campo de concentração... História muito punk!), e muitas outras.

Ouçam e deleitem-se.

Abração!!!!!”- Michel Leme

<< Voltar