Dicas

29/1/2007
ORNETTE COLEMAN - SCIENCE FICTION
 
Ornette Coleman trouxe liberdade extrema ao jazz: aboliu a forma e revolucionou, influenciando músicos de várias gerações como Miles Davis, Eric Dolphy, John Coltrane e outros. O saxofonista, que faz 77 anos de idade em 08 de março próximo, é um dos pilares da música improvisada.

Não posso deixar de agradecer a dois grandes bateristas por chegar a esse som: quem me recomendou esse CD foi o amigo Bob Wyatt, e quem me trouxe de Nova Iorque foi o meu amigo Cuca Teixeira.

Logo na primeira faixa, uma surpresa: "What reason could I give" é cantada por Asha Puthli e tem o grupo de Coleman com Dewey Redman (sax tenor), Gerard Schwarg e Carmon Fornarotto (trompetes), Charlie Haden (baixo) e duas baterias, sendo tocadas por Billy Higgins e Eddie Blackwell. Clima único!

A seguir, temos "Civilization Day" e "Street Woman", que trazem uma estrutura muitíssimo usada por Coleman: um tema curto e... liberdade! Com Ornette Coleman (sax alto), Don Cherry (trompete), Charlie Haden e Billy Higgins. (O tema de "Street Woman" é muito bom...)

A faixa título traz o poeta David Henderson recitando pausadamente sobre solos furiosos de Coleman, Redman, Cherry e Bobby Bradford (trompete). Tudo isso num pulso violentíssimo sustendado por Blackwell e Haden. Muito bom!

Depois, temos "Rock the Clock" com Redman tocando sax tenor e musette, Coleman tocando sax alto e violino e Charlie Haden tocando um baixo com wha-wha. Coisa fina...

Asha Puthli volta em "All my Life", que se inicia apenas com voz, baixo e as duas baterias quebrando tudo. A seguir, entram os metais.

A swingada "Law Years" e a rapidíssima "The Jungle is a Skyscraper" fecham o disco com o quinteto: Coleman, Redman, Bradford, Haden e Blackwell. Pressão total!!!

Tem outro disco dessa época que é bem legal, o "Skies of America". É uma sinfonia de Ornette Coleman, tocada por ele e pela Orquesta Sinfônica de Londres. Muito bom também!

Ouça Ornette Coleman e sinta sua honestidade.

Abraços a todos!"
- Michel Leme

<< Voltar